Feliz Deserto e Piaçabuçu

Médicos cubanos abandonam postos do Mais Médicos e população fica com atendimento prejudicado

POR: Ludmila Calheiros
Ilustração
Veja

O atendimento médico a população de duas cidades de Alagoas está prejudicado após dois médicos cubanos abandonarem o Programa Mais Médicos. O único profissional que atendia toda a demanda da zona rural de Feliz Deserto, há dois anos e oito meses, informou nessa segunda-feira (13) que abriria mão do posto e não compareceu mais ao trabalho. A médica de Piaçabuçu foi vista pela última vez no final de semana. A suspeita é que os dois tenham fugido juntos. Os municípios procuraram a polícia e confeccionaram Boletins de Ocorrência. Os documentos serão encaminhados para o Ministério da Saúde.

“Fomos pegos de surpresa. Em quase três anos não houve nenhum problema. Tudo que foi solicitado pelo profissional, como auxílios de transporte e moradia, foram atendidos. Ele simplesmente foi até o coordenador ontem e informou que não iria mais trabalhar, que iria fugir e não deu mais detalhes”, explicou o secretério Municipal de Feliz Deserto, Rosiwellington Tavares.

Surpresa maior ocorreu em Piaçabuçu. A médica cubana que chegou a cidade pelo Mais Médicos, há dois anos e meio, não teria apresentado qualquer problema em todo esse tempo. Segundo a secretária Municipal de Saúde, até quando a profissional precisava se atrasar informava através de ligações.

“Na segunda-feira ela não foi trabalhar e não entrou em contato. O pessoal achou que ela pudesse estar doente. Tentaram entrar em contato com ela através de mensagem, mas nenhuma foi visualizada. Então começamos a ficar preocupados, porque ela tinha informado que iria para uma festa no final de semana e não foi mais vista”, informou a secretária de Piaçabuçu, Joana Paula.

A preocupação com a falta de contato foi tão grande que a coordenação chegou a arrombar a residência onde a médica morava. No local, segundo a secretária, ainda foram encontrados muitos pertences da profissional, mas havia indícios de que ela teria arrumado o básico para fugir. Foi então que alguns pontos da história foram ligados ao abandono do médico de Feliz Deserto.

“Ficamos sabendo que essa suposta festa que ela tinha falado era em Feliz Deserto, entramos em contato com a coordenação lá que informou que um médico, também cubano do Mais Médicos, havia informado que iria fugir. Casamos as histórias e acreditamos que eles tenham fugido juntos”, expos Joana Paula, ainda ressaltando que o contrato da médica de Piaçabuçu acabaria no próximo dia 30 e que com isso ela teria que retornar para Cuba.

O secretário de Feliz Deserto informou que um Boletim de Ocorrência foi confeccionado pelo coordenador do médico imediatamente após o não comparecimento do profissional. O registro da ocorrência de abandono da função vai ser encaminhado a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e ao Ministério da Saúde. O mesmo aconteceu em Piaçabuçu.

Com a surpresa do abandono do cargo, os municípios ainda estariam avaliando como atender a demanda que ficava a cargo do médicos.

“Não temos um posicionamento ainda. Estamos estudando. Foi tudo muito de repente. Vamos avaliar junto a administração para ver o que temos de possibilidade. Como vamos acionar o Ministério, talvez outro profissional seja encaminhado, mas tudo depende dos próximos passos dados”, finalizou o secretário de Feliz Deserto.

“O primeiro passo demos com a confecção do Boletim, agora vamos informar a Sesau que regula essa atuação e ao Ministério da Saúde. É complicado. Com os profissionais do Mais Médicos apenas realizamos a ajuda de custo e o Ministério faz o repasse dos salários. Para atender a demanda talvez a gente tenha que contratar um novo médico, custeando tudo. Vamos tentar ver com o Ministério, porque o contrato da médica acabava nesse mês, talvez eles consigam agilizar um outro profissional”, disse a secretária de Piaçabuçu.
 

Abandono cargo Falta Feliz Deserto Mais Médicos Médico Piaçabuçu zona rural

Comentários