Corpo de garota dada como morta retorna para exames no IML de Maceió

  • Corpo da adolescente foi removido para o IML de Maceió

    Suely Melo - G1 Alagoas
  • Débora Ísis recebeu atestado de óbito, mas família não fez sepultamento

    Internet

Família afirma que adolescente ainda está viva

O corpo da adolescente Débora Isís Mendes de Gouveia, 18 anos, foi removido nesta terça-feira (14) da residência de sua família - localizada em Rio Largo, Região Metropolitana de Maceió - para a realização de exames no IML da capital alagoana.

A transferência acontece dois dias depois de a garota ser declarada morta e, apesar disso, continuar mantida dentro do caixão pela família que se recusa a sepultar a menina por acreditar que ela ainda esta viva.

A garota que recebeu atestado de óbito no último dia 12, documento emitido pelo Hospital Vida, situado em Maceió. Segundo o atestado, ela morreu em decorrência de uma infecção renal.

Para a família da adolescente, Débora sofre de catalepsia, conforme assegura a mãe Teresa Cristina Mendes, 48 anos. Ela não fez o enterro da filha em Rio Largo porque diz que a menina é acometida pelo distúrbio raro que impede o movimento do corpo, mas que mantém as funções vitais em níveis mínimos.

O aparente estado de morbidez tem histórico na família de Teresa Cristina, conforme relatou em desespero à imprensa. O caso chamou a atenção do Ministério Público Estadual que determinou a realização de exames no IML. 

Compartilhar

Comentários