Passagem

Sindicato ameaça aumento de tarifa de ônibus e 'culpa' queda de usuários

Queda ultrapassa meio milhão de usuários no último ano

POR: Assessoria
Saiba como funcionarão os ônibus coletivos no Carnaval
Assessoria

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió enviou nota à imprensa informando que a queda do número de usuários em quase meio milhão deve forçar o aumento das tarifas já no início de 2018. Para o sindicato os usuários não mudaram o peril, apenas migraram para outras opções de transporte.

Os dados são resultado de um levante dos registros das empresas Veleiro, Cidade de Maceió, São Francisco e Real Alagoas, desde que as mesmas venceram licitação, em 2015. É do Sinturb a informação de que nesse período a queda de usuários já atinge 17%. O aumento do diesel e na tributação do PIS/Confins também são elementos apontados pelo Sindicato para o 'estudo' do aumento da tarifa.

Já usuários alegam que migram para outros transportes por que o serviço prestado pelas empresas não é de boa qualidade. A maior queixa é quanto a frota, sempre considerada menor do que a necessária, mas também há reclamação de que os ônibus estão sempre lotados, não possuem ar condicionado, quebram com frenquência, são sujos e que não cumprem horário.

O Sindicato não se pronunciou sobre o valor estimado da nova tarifa.

Leia na íntegra nota divulgada pelo Sindicato:

De acordo com dados do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió, só este ano as empresas que fazem o transporte urbano da capital deixaram de transportar mais de 630 mil passageiros. Uma queda de 10% se comparado com o mesmo período do ano passado. Em 2016 a média de usuários de ônibus da capital terminou em 6.439.737, em relação a 2017 uma queda de mais de meio milhão de passageiros.

A categoria se preocupa, já que é o maior declínio de passageiros dos últimos quatro anos, e explica que os números estão relacionados aos levantamentos diários do sindicato. Eles acreditam que este público não mudou de perfil. E sim, migrou para outros transportes, como veículos de aplicativos, mas principalmente passaram a utilizar veículos clandestinos. O sindicato ainda alerta, as pessoas ainda precisam do transporte, pagam por ele, mas da forma errada. O dinheiro vai parar na mão dos irregulares.

Sobre os dados computados, o sindicato explica que eles estão sendo registrados desde que as empresas, Cidade de Maceió, São Francisco, Real Alagoas e Veleiro, venceram a licitação da Prefeitura de Maceió em 2015. De lá pra cá, o Sinturb, registra uma queda de 17%, o que representa 1.175.035 usuários pagantes a menos por mês.

Na época em que a licitação foi fechada, em 2014, maceió possuía uma média anual de 6.986.300. Neste mesmo ano, nos meses de Julho a dezembro, o número passou dos sete milhões passageiros pagantes. Já no ano seguinte, 2015, começaram as perdas de passageiros, a média ficou em 6.937.000.

Tarifa 2018
O Sinturb alerta que a diminuição de passageiros vai influenciar diretamente no aumento da tarifa prevista para janeiro de 2018. O reajuste já vem sendo discutido pela categoria. O sindicato apresentou às empresas os dados negativos e foi constatado que ao longo desses quatro anos as empresas deixaram de receber mais de quatro milhões mensais pela diminuição do número de passageiros.

Outro ponto importante que o sindicato destaca, é que produtos ligados ao transporte público sofreram grandes reajustes este ano. Um exemplo é o diesel, o Governo Federal anunciou para 2017 um aumento da tributação do PIS/Confins em torno de 7%. Aqui em Maceió, em maio deste ano, por exemplo, as empresas pagavam o valor de R$ 2,30 por litro, e agora R$ 3,00 reais. O que também impacta diretamente no ajuste da tarifa.

passagem Sinturb

Veja Também

Comentários