Justiça

Alagoano Humberto Martins é nomeado Corregedor Nacional de Justiça

Ministro vai assumir o novo cargo no dia 24 de agosto

POR: 7Segundos com STJ
Humberto Martins deverá ocupar o cargo no biênio 2018-2020
Sergio Amaral/STJ

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins foi nomeado foi nomeado para o cargo de Corregedor Nacional de Justiça  (CNJ) para o biênio 2018-2020. A nomeação foi assinada, na última sexta-feira (13), pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, no exercício interino da presidência da República.

Humberto Martins vai assumir o cargo no dia 24 de agosto, em substituição ao ministro João Otávio de Noronha. Ao ser indicado para o cargo, o ministro ressaltou a importância do trabalho correcional realizado no âmbito do CNJ.

“Procurarei exercer o cargo com sabedoria e prudência, buscando o diálogo com a magistratura nacional, valorizando sempre a atuação dos magistrados, que desempenham papel relevante para o exercício da democracia e o alcance da paz social tão desejada pela sociedade brasileira”, afirmou o vice-presidente e próximo corregedor do CNJ.

Perfil

Natural de Maceió/AL, Humberto Martins iniciou sua carreira atuando como advogado e foi eleito presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas  (OAB/AL) para dois mandatos. Foi promotor de Justiça adjunto em Alagoas no período de 1979 a 1982, procurador estadual de 1982 a 2002 e presidente da Associação dos Procuradores de Estado.

Tornou-se desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) pelo quinto constitucional, em vaga destinada à advocacia. Teve destaque também em âmbito acadêmico, como professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), de 1992 a 2006, além de ser autor de livros e artigos jurídicos. Humberto Martins atua como ministro do STJ desde 14 de junho de 2006.

Ele tem formação em Direito e Administração de Empresas, além de especializações nas áreas de Direito Civil e Processual Civil e Direito do Consumidor.

biênio 2018-2020 Corregedor Nacional de Justiça Humberto Martins

Veja Também

Comentários