CASO GIOVANNA

Câmara Criminal do TJ/AL deverá julgar recurso de Mirella Granconato na quarta-feira

Ré foi condenada por ocultar cadáver de Giovanna Tenório

POR: 7Segundos
Mirella foi condenado pelo crime de ocultação de cadáver
Caio Loureiro

Na próxima quarta-feira (02), deverá ser julgado, pela CâMARA Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), o processo de apelação do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) que entrou com um recurso contra a sentença de Mirella Granconato.

Mirella foi condenada pela ocultação do cadáver da universitária Giovanna Tenório, que foi sequestrada em junho de 2011, após sair de uma faculdade particular, no Farol, em Maceió. O corpo de Giovanna foi encontrado dias depois em um canavial próximo ao município de Rio Largo.

O crime teria sido cometido por Mirella após a mesma descobrir que Giovanna mantinha um relacionamento com o ex-marido da acusada, Antônio de Pádua Bandeira.

A ré, que foi absolvida em 2017 pelo crime de homicídio, negou envolvimento no crime e disse não conhecer o caminhoneiro condenado como autor material do homicídio, Luiz Alberto Bernardino da Silva. Porém, admitiu ter feito ameaças e trocado agressões físicas com a vítima em uma boate de Maceió.

No dia do julgamento, o promotor de Justiça Antônio Villas Boas havia dito que a decisão dos jurados teria sido "incongruente e manifestamente contrária às provas dos autos".

Mirella Granconato foi condenada pela Justiça pelo crime de ocultação de cadáver, e como a pena foi inferior a quatro anos, ela deve responder em liberdade prestando serviços à comunidade. A acusada também teve que pagar indenização de R$ 20 mil à família da vítima.

Galeria de Fotos


Assassinato ciúmes Giovanna Tenório Mirella Granconato Sequestro

Veja Também

Comentários