Decepcionados

Torcedores de seleções eliminadas se juntam a cambistas na Copa da Rússia

POR: Uol
Copa 2018
Reprodução

Do outro lado da rua da agência de ingressos para Copa do Mundo da Fifa em Moscou, um homem diz que lhe dá um "preço barato" no ingresso dele para a semifinal de quarta-feira entre Inglaterra e Croácia, apenas 1.500 dólares, o dobro do preço oficial.

Ele sabe que está quebrando a lei, mas o homem, da Colômbia, diz que ele comprou o ingresso esperando que a sua seleção passasse das oitavas de final.

Então, a Colômbia perdeu nos pênaltis para a Inglaterra na terça-feira da semana passada e agora ele, junto com dezenas de outros cambistas na capital russa, está tentando vender o seu lugar com lucro.

"Eu não preciso do ingresso, é por isso que estou vendendo", disse o homem, recusando dizer seu nome, apesar de ainda ter a sua identificação de torcedor da Copa ao redor do pescoço, significando que ele foi avaliado e liberado pelas autoridades russas.

Faltam quatro jogos na Copa do Mundo 2018 e a venda paralela de ingressos parece ganhar força conforme a final se aproxima, no dia 15 de julho, especialmente já que seleções de ponta --incluindo Alemanha, Brasil e Argentina-- não se saíram tão bem quanto o esperado.

No início deste ano, o presidente russo, Vladimir Putin, assinou a lei que bania a revenda de ingressos da Copa do Mundo. Os infratores podem receber multas até 25 vezes o preço original do ingresso.

Porém, do lado de fora da estação de metrô Dobryninskaya, nenhum policial estava visível na tarde de segunda-feira. Uma viatura passou mas não parou, e um policial na entrada da estação disse que não sabia que a venda informal que estava acontecendo do lado de fora era ilegal.

Outro cambista, com sotaque norte-americano, disse que a polícia tinha intervindo, mas não havia parado a revenda dos ingressos.

"A polícia apareceu algumas vezes", ele disse. "Eles pegaram algumas pessoas e as levaram embora, mas fora isso, eles não parecem ligar."

Houve uma porção de casos reportados de cambistas sendo detidos em algumas das 11 cidades-sede da Copa, mas a polícia não liberou estatísticas sobre o número registrado de infratores de revenda de ingressos até o momento no campeonato.

O Ministério do Interior da Rússia não respondeu a pedido por comentário.

A Fifa, órgão que comanda o futebol, condena a venda informal e permite transferência de ingressos apenas se o dono da entrada possuir uma "relação pré-existente" com a pessoa recebendo o ingresso.

"A Fifa considera a venda e distribuição ilícita de ingressos uma questão séria e, em cooperação com as autoridades locais, incluindo agências de proteção ao consumidor em diversos países, luta para identificar e limitar as vendas não autorizadas", disse um representante da Fifa em comunicado mandado por email à Reuters.

Entretanto, ele não respondeu perguntas sobre o fato de vendas irregulares estarem acontecendo perto do seu centro de ingressos em Moscou.

Outro cambista, falando russo, disse à Reuters: "Algumas pessoas retiram os ingressos no centro da Fifa e então vêm direto para o outro lado da rua para vendê-los". Ele disse que não queria ser identificado, já que a venda é ilegal.

Qualquer um que devolve o ingresso indesejado para a Fifa é restituído no preço original se a entrada for vendida através da plataforma online de revenda oficial.

A Fifa disse que mais de 95 mil ingressos foram revendidos pela plataforma e que os fãs ainda podem mandar seus ingressos extra para revenda até a final.

"Os estádios estariam vazios sem isso (revenda informal)", disse um cambista de 28 anos do Quirguistão.

"Todo mundo faz e os policiais não vão te parar."

cambistas eliminados ingressos Rússia 2018 seleções torcedores venda ilegal

Veja Também

Comentários