Meio Ambiente

IMA pede que embarcação deixe Porto de Maceió para evitar contaminação de corais

O coral-sol geralmente chega ao litoral nas crostas dos navios, se reproduz com muita rapidez, e deteriora a biodiversidade marinha existente

POR: 7Segundos, Com assessoria
IMA/AL recomenda saída de embarcação
IMA/Assessoria

A administração do Porto de Maceió recebeu um manifesto técnico que pede do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) que pede a saída imediata e uma embarcação atracada no local.

Como uma ação preventiva, a medida foi tomada para evitar danos aos recifes da costa alagoana por uma possível contaminação do chamado coral-sol (Tubastreae)  

Foram realizados dois mergulhos, no dia 21 e outro no dia 29 de setembro por biólogos do Gerenciamente Costeiro e um professor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Carlos Sampaio. A embarcação atracou no dia 16 de setembro segundo o coordenador de Gerenciamento Costeiro do órgão.

O grupo colheu amostras para examinar se havia a bioincrustação de espécies do coral-sol. Contudo, o IMA alerta que é muito alto o risco de haver pólipos e isso é uma ameaça para a biodiversidade da costa alagoana, devido à quantidade de recifes e a agressividade com que o coral-sol se multiplica.

O documento foi repassado à administração do Porto de Maceió na última sexta-feira, dia 05 de outubro, que encaminhou para a Capitânia dos Portos. A equipe do IMA/AL aguarda o posicionamento e as providências necessárias.

O coral do gênero Tubastraea é um organismo invasor, oportunista cuja facilidade de reprodução e consequente dificuldade de erradicação e controle, causa dano ambiental praticamente irreversível, segundo argumentos de uma Ação Civil Pública do Ministério Público de abril de 2016.

O coral-sol geralmente chega ao litoral nas crostas dos navios, se reproduz com muita rapidez, e deteriora a biodiversidade marinha existente.

Corais IMA Maceió Meio Ambiente

Veja Também

Comentários