Crueldade

Corpo de grávida é encontrado amarrado pelo pescoço e sem bebê na barriga

A jovem estava desaparecida desde segunda (15); a autora do crime confessou e está presa

POR: G1
A vítima que estava grávida, foi encontrada amarrada pelo pescoço com um arame
Reprodução

O corpo de Mara Cristina Ribeiro da Silva, de 23 anos foi encontrado na tarde de terça-feira (16), depois de ter desaparecido na segunda (15), em Minas Gerais. A jovem estava grávida de oito meses. O corpo foi visto por moradores que ajudavam a fazer buscas, numa área de reserva na BR-040.

No dia do desaparecimento, Angelina Ferreira, de 40 anos, foi até a Santa Casa de João Pinheiro, em Minas Gerais, com uma recém-nascida, dizendo para os médicos que a bebê era dela.

Segundo a Polícia Civil, a vítima estava amarrada pelo pescoço com um arame e tinha um corte na barriga, possivelmente feito para retirar o bebê.

De acordo com a PM, policiais foram acionados por funcionários do hospital, que relatavam a entrada de uma paciente bastante agitada, com uma recém-nascida no colo, afirmando que tinha acabado de dar a luz na segunda-feira (15). Angelina se recusou a ser atendida por um médico obstetra, situação incomum em casos de parto.

Ao chegarem no hospital, os policiais encontraram os familiares da vítima, Mara Cristina, que afirmaram que ela estava grávida de oito meses e que a mulher que havia ido ao hospital morava com ela desde o último sábado (13).

Os PMs convenceram a suspeita de realizar o exame com o médico. Foi quando ela revelou que a bebê não era dela e sim de uma amiga. Ao ser questionada sobre o desaparecimento da amiga, Angelina disse que uma pessoa ligou para Mara, marcando um encontro e ela decidiu acompanhá-la. Mas, segundo Angelina, as duas se depararam com uma mulher e que Mara a seguiu, enquanto ela ficou com a filha de 1 ano da vítima.

Angelina disse que depois de um tempo a mulher voltou sem Mara e com a recém-nascida no colo. Com isso ela foi até o hospital e pediu que o marido, Roberto Gomes de Souza, 57 anos, a acompanhasse. Mas por falta de prova, o casal foi liberado.

Só que na manhã de terça (16) a PM chamou a suspeita até a delegacia e ela confessou todo o crime e disse que agiu sozinha. Angelina e seu marido, tiveram a prisão decretada. Quando descoberta a mentira, a suspeita do crime foi agredida por moradores.

A recém-nascida passou por alguns exames e o quadro de saúde dela é estável. Um parente da menina está no hospital acompanhando-a.

enforcada grávida morta Minas Gerais recém-nascida

Veja Também

Comentários