RACHADURAS

Análises técnicas prosseguem em ruas do Pinheiro e entorno

Mapeamento das estruturas geológicas já alcançou 43% das áreas a serem avaliadas

POR: Secom Maceió
Estudos técnicos não pararam no Carnaval e prosseguem no Pinheiro e entorno
Ascom Defesa Civil

Equipes de pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e de empresa de geofísica mantiveram o trabalho no Pinheiro durante o Carnaval. A análise do subsolo pelos métodos audiomagnetotelúrico (AMT) e mapeamento das estruturas geológicas já alcançou 43% das áreas a serem avaliadas – o que equivale a 45 pontos em todo bairro –, e continua até o dia 10 de março, data prevista para conclusão dos levantamentos.

Desde que começou, esse trabalho segue cronograma diário, incluindo finais de semana e feriados. “Além disso, estamos realizando novas vistorias nas áreas solicitadas pela Defesa Civil de Maceió. Trabalharemos sem interrupções para cumprir o cronograma dos estudos”, informa Adelaide Mansini Maia, chefe do Departamento de Gestão Territorial da CPRM.

O AMT utiliza um equipamento de alta precisão, que busca informações no subsolo do bairro, a profundidades que ultrapassam 1.500 metros. Segundo a CPRM, no mapeamento das estruturas geológicas é investigada a existência de feições e elementos que contabilizam os eventos geológicos que formaram e modificaram o terreno do bairro ao longo de milhares de anos. O trabalho é complementar a outros estudos que estão sendo feitos para identificar o que ocorreu no solo da região, mesmo antes de o bairro existir.

“Esse estudo irá proporcionar a identificação de falhas e fraturas que podem funcionar como indutores do surgimento das rachaduras, fissuras e trincas em imóveis e dos afundamentos em vias publicas do bairro”, afirma o geólogo Vanildo Rocha. Como o AMT utiliza a corrente elétrica natural da Terra, é necessário o corte parcial do fornecimento de energia no bairro, o que vem sendo feito de forma programada, com divulgação diária das ruas que terão energia suspensa. A fase seguinte a este processo será a interpretação dos dados.

Mais análises

Pesquisadores da empresa americana Panamerican Geophysical, especializada em pesquisas geofísicas, também estão trabalhando no Pinheiro. O estudo sísmico no bairro o em ruas de bairros próximos se estenderá até o dia 12 de março, por exigência da Agência Nacional de Mineração (ANM) à Braskem.

De acordo com os técnicos, o levantamento de dados tem como objetivo a criação de uma imagem do subsolo para a identificação de estruturas e camadas geológicas.

Para realizar esse estudo é necessária a interdição parcial de ruas, trabalho que vem sendo realizado sob supervisão da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), com apoio da Defesa Civil de Maceió e da Guarda Municipal. A AMN acompanha as atividades junto com representantes do Serviço Geológico do Brasil.

análise do solo Pinheiro rachaduras

Veja Também

Comentários