cidades

Deputados propõem reserva florestal em áreas afetadas no Pinheiro e vizinhança

Parlamentares questionam o futuro dos moradores e comerciantes da região

POR: Marcos Filipe Sousa
Panorâmicas do Bairro do Pinheiro
Foto:Marco Antonio/Secom Maceió

A audiência na manhã desta quarta-feira (08) que divulgou o laudo sobre a situação do solo nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro repercutiu durante a tarde na sessão da Assembleia Legislativa (ALE). A principal preocupação dos parlamentares é o futuro dos moradores e comerciantes com as especulações imobiliárias.

Silvio Camelo foi o primeiro que iniciou a discussão pedindo que os governos Estadual e Municipal tracem um projeto com os próximos passos após ser confirmado que as minas da Braskem são a principal causa do que está acontecendo. "Precisamos buscar uma solução e remediar esse problema". 

"Como vai ser essas indenizações? As pessoas terão que ser relocadas?", questionou Dudu Ronalsa. 

Francisco Tenório respondeu a pergunta do colega parlamentar. "Com a especulação imobiliária, as pessoas não querem morar no local e nem conseguiram vender suas casas. Precisa-se fazer um levantamento, indenizar, e derrubar as edificações e construir uma reserva florestal na área".

Antônio Albuquerque disse que precisava fazer um desabafo."É um muito blá blá blá do Governo do Estado, da Prefeitura, da Câmara e desta Casa. As pessoas precisam de ações concretas, os moradores e comerciantes não aguentam mais. E concordo com o deputado Francisco Tenório, transforma a região em uma reserva florestal, e que as pessoas sejam idenizadas e escolham suas novas residências onde bem entenderem".

Assembleia Legislativa Bebedouro Mutange Pinheiro reserva florestal

Veja Também

Comentários