polêmica

Vereadores rebatem acusações de presidente de Conselho Municipal

Walkíria Lúcio Lins de Araújo enviou ofício ao prefeito chamando lei aprovada de "inescrupulosa"

POR: Marcos Filipe Sousa
Sessão na Câmara de Maceió
Assessoria

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Walkíria Lúcio Lins de Araújo, "comprou" briga com os vereadores de Maceió nesta quinta-feira (09) após emitir ofício ao prefeito de Maceió, Rui Palmeira, chamando de "inescrupulosa" a lei aprovada na semana passada em que estabelece apenas o Ensino Médio para o cargo de Conselheiro Tutelar.

O assunto foi abordado pelo vereador José Márcio Filho, que leu trecho dos ofícios. "Ela pede ao prefeito que vete o projeto, chama-o de inescrupuloso e diz que os atuais conselheiros são incompetentes". O presidente da Casa de Mário Guimarães, Kelmann Vieira, chegou a interromper surpreso, mas o colega parlamentar confirmou: "Está aqui no ofício!".

José Márcio fez duas acusações graves. "Que ela tenha o apreço que essa Casa sempre teve. Essa é uma falta de respeito usando esses termos em um ofício".

Francisco Sales também se pronunciou. "O Conselho tem que se preocupar com as causas referentes às nossas crianças e adolescentes. A Casa é independente. Parece até que o Prefeito é um pai e que vai nos dá um puxão de orelha".

"Temos que convocá-la para esclarecimentos e que se retrate diante dessa situação", colocou Siderlane Medonça.

O líder do governo e autor do projeto, Samyr Malta, não poupou críticas. "Ela tem respeitar essa Casa e estamos vendo o que é melhor para as nossas Crianças e Adolescentes. Não é porque ela é presidente do Conselho que pode ditar as regras do jogo. Se for assim é melhor acabar com a eleição e perguntar como ela quer".

Briga Câmara de Maceió conselheiros tutelar conselho municipal Eleição vereadores

Veja Também

Comentários