arte e cultura

A grande farsa do escritor trans que nunca existiu

Há duas décadas, um transgênero ex-profissional do sexo que se tornara escritor virou um sucesso - mas ele não existia.

POR: BBC News
Savannah Knoop, como JT LeRoy, e Laura Albert, no início dos anos 2000
Getty Images / BBC News Brasil

De pseudônimos a memórias fantasiosas, o mundo literário sempre esteve cheio de enganações.

Mas a farsa mais descarada, chocante e bombástica de todas é certamente a de JT LeRoy, o adolescente transgênero HIV-positivo que, na virada do milênio, tornou-se uma sensação global com seus romances aparentemente semi-autobiográficos que tratavam de abusos na infância, famílias desmembradas e trabalhos sexuais.

Como acabou sendo revelado, em 2005, na verdade os livros de LeRoy haviam sido escritos por uma americana de meia-idade chamada Laura Albert - e que não era HIV-positiva, transgênero ou profissional do sexo.

Ela havia pedido a outra mulher, Savannah Knoop, sua cunhada na época, que colocasse uma peruca, um chapéu fedora e óculos escuros para posar como se fosse o autor, em público e em aparições para a mídia, incluindo na capa de várias revistas conhecidas.

Para complicar ainda mais as coisas, Albert acompanhava LeRoy em aparições públicas, fazendo-se passar por Speedie, sua assistente britânica.

Isso em todo lugar com exceção do Reino Unido, onde, preocupada que seu falso sotaque britânico pudesse levantar suspeitas, ela aparecia ao lado de LeRoy como sua amiga de infância Emily Frasier.

LeRoy era regularmente fotografado em eventos sociais com celebridades de Hollywood, viajou o mundo em turnês de promoção de seu livro e apareceu no tapete vermelho do Festival de Cannes, na França, para promover uma adaptação para o cinema de seu livro - The Heart Is Deceitful Above All Things (O Coração Engana Acima de Tudo), de 2004.

anos 2000 Escritor farsa trans

Veja Também

Comentários