POLÍTICA

Bolsonaro critica candidato de Kirchner na Argentina e apoia reeleição de Macri

Criticou visita de Fernández a Lula ,não quer que Argentina ‘vire Venezuela’

POR: Poder 360
O presidente Jair Bolsonaro vistou a Argentina em 6 de junho, onde se encontrou com o presidente Mauricio Macri
Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista ao jornal argentino Clarín, dias antes de viajar à Argentina para participar de cimeira do Mercosul, em 17 de julho. Em conversa com o jornalista Guido Nejamkis, Bolsonaro apoiou a reeleição do presidente argentino Mauricio Macri e criticou o candidato à Presidência Alberto Fernández –que visitou o ex-presidente Lula na prisão. O militar também criticou a ex-presidente argentina Cristina Kirchner.

FERNÁNDEZ E MERCOSUL 

Bolsonaro comentou sobre a intenção de Alberto Fernández de revisar o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. De acordo com o militar, isso traria problemas econômicos para o Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

“Estamos focados na economia. Um governo com a economia fraca não se sustenta. Não quero que a Argentina siga a linha da Venezuela”.

CANDIDATO À PRESIDÊNCIA VISITA LULA

Sobre a visita de Alberto Fernández ao ex-presidente Lula, Bolsonaro disse que representa “1 completo desconhecimento do que ocorre no Brasil”. Voltou a atacar o PT: “o Partido dos Trabalhadores tinha 1 projeto de poder. Por isso roubou as empresas estatais. Petrobras quase foi destruída. Os fundos de pensão também foram quebrados”.

Completou dizendo que no Brasil confia-se nas instituições. “Lula foi condenado em 3 instâncias. Espero que a Argentina reflita muito sobre essa visita a Lula de seu candidato. Assim como, em especial, sobre o acordo [do Mercosul-UE] que ele quer revisar. Eu estarei no caminho inverso”.

INTENÇÕES FUTURAS COM MERCOSUL

Além de apoiar a continuação e implementação do acordo Mercosul-UE, Bolsonaro disse que conversou com o atual presidente argentino, Mauricio Macri, e disse que a intenção de ambos mandatários é ter 1 “Mercosul 2.0”.

“Quando eu era deputado, era contrário ao Mercosul, mas por sua tendência ideológica. Quando assumi a Presidência, uma das pessoas que conversei foi com Macri. Chegamos à conclusão que essa tendência ideológica tem que deixar de existir. Temos que ir ao livre mercado e fazer acordos com a maior quantidade de blocos ou países do mundo”, afirmou.

PRISÃO DE KIRCHNER

O jornalista chega a questionar Bolsonaro se ele acredita que a ex-presidente argentina Cristina Kirchner deveria estar presa. O presidente se esquiva da pergunta, mas compara a Justiça dos países vizinhos.

“Nossa Justiça aqui trabalhou muito bem no combate à corrupção, que tem que ser efetivo em qualquer país que deseja ser democrático, que cuida da sua liberdade e que quer ter a confiança do mundo. Aqui temos 1 ex-presidente preso e talvez isso sirva de exemplo para outros políticos que pretendem ter uma vida à margem da lei, como Lula e seu gabinete de ministros de forma geral”, declarou.

ECONOMIA BRASILEIRA

Perguntado quando a economia do país, “que está estancada”, voltará a crescer, Bolsonaro disse que “a mãe de todas as reformas é a da Previdência” e que, por isso, ele e sua equipe não estão incentivando outras medidas para não prejudicar o andamento da proposta.

Afirmou que a economia começará a crescer ainda esse ano e que “haverá 1 salto” após o novo sistema de pensões. Elogiou o governo Temer e as medidas em relação às leis de trabalho. Também comentou sobre a intenção de criar o programa “minha 1ª empresa”, que “facilitará a vida de quem quer abrir sua empresa e o faça em poucos dias”.

CONSELHOS A MACRI

O jornalista comparou a tentativa de Bolsonaro de implementar reformas de forma rápida, como a da Previdência, Tributária e medidas de desburocratização, em relação a Macri, que fez mudanças de “forma mais gradual”. Sobre o tema, o presidente brasileiro disse que, pelo argentino ser “1 empresário, entende muito mais de economia” do que ele.

“Talvez o que faltou no passado foi fazer reformas mais profundas. O que vejo que está em jogo na Argentina é o que estava no Brasil até o fim do ano passado: liberdade e democracia. Acredito que a economia melhorará pelo Mercosul e com esse profundo entendimento [com a União Europeia]“, afirmou.

Bolsonaro também apoiou a reeleição de Macri: “Acredito que a Argentina tem tudo para decolar com a reeleição de Macri. Sei que não devemos interferir em outros países, mas se voltam pessoas vinculadas à Cristina Kirchner, muito vinculadas com Lula, Dilma, acredito que o país terá seríssimos problemas e esperamos que isso não aconteça”, disse.

SOBRE GOSTAR DE SER PRESIDENTE

O jornal perguntou ao presidente brasileiro se ele está “sofrendo” ou se está “gostando” do cargo que ocupa. Segundo Bolsonaro, ele “sabia dos problemas” e não se queixa “do que está enfrentando”.

“Sou limitado, tenho humildade para sempre buscar a pessoa adequada para tomar uma decisão. Não posso dizer que estou gostando, é uma missão”, afirmou.

Argentina Bolsonaro critica governo presidente

Veja Também

Comentários