Encerramento

Escola Sem Partido suspende atividades alegando ‘falta de apoio’

Anúncio foi feito no Facebook

POR: Jovem Pan
Escola sem Partido
Reprodução/Uol

O Escola Sem Partido, organização voltada a “dar visibilidade ao problema da doutrinação e da propaganda ideológica, política e partidária nas escolas”, anunciou nesta semana que pretende encerrar as atividades do movimento.

“Por absoluta falta de apoio, suspenderemos nossas atividades neste perfil a partir de 1° de agosto. Daí pra frente, denúncias, pedidos de socorro e orientação deverão ser dirigidos ao MEC, secretarias de educação, Ministério Público e políticos que se elegeram com a bandeira do ESP”, publicou o perfil do grupo no Facebook.

No mesmo perfil foi compartilhado um depoimento em que o fundador do movimento, Miguel Nagib, detalhou à “Gazeta do Povo” os motivos pelos quais resolveu encerrar as atividades. Segundo ele, “o ESP manteve acesa a chama da luta contra o uso das escolas e universidades para fins políticos” por 10 anos e “se tornou a principal referência sobre o assunto no Brasil”. “E tudo isso sem apoio de ninguém”, frisou.

“Se somarmos todas as doações em dinheiro e material (como camisetas, por exemplo) recebidas pelo ESP nos últimos 15 anos, o valor não chega a R$ 10 mil. Como se vê, lutamos com extrema dificuldade (…). Diante disso, é claro que ficamos esperançosos quando Bolsonarofoi eleito com a promessa de combater a ideologia de gênero e implantar o Escola Sem Partido”, disse ainda o post.

“De lá pra cá, todavia, Bolsonaro não tocou mais no assunto. Desde o início do governo de transição, não me lembro de tê-lo ouvido falar em Escola Sem Partido. Por alguma razão, o tema sumiu do radar do Presidente”, lamentou em seguida.

“Tudo isso é muito frustrante para nós (…). Sem o apoio de Bolsonaro ‒ não me refiro ao governo, mas à liderança política do Presidente ‒, o Escola sem Partido dificilmente conseguirá avançar. Em resumo, uma causa tão importante, com adversários tão poderosos, não pode ser defendida da forma como estamos fazendo”, concluiu.

atividades escola sem partido Falta de apoio Suspensão

Veja Também

Comentários