DENÚNCIA

Tonholo solicita apuração do MPF sobre vídeos caluniosos na eleição da Ufal

Representação com o pedido de Tonholo já foi protocolada junto ao MPF

POR: Assessoria
Professor Josealdo Tonholo
Divulgação

O professor Josealdo Tonholo, candidato a reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), pediu na noite deste domingo (28) apuração por parte do Ministério Público Federal (MPF) da autoria de uma sequência de vídeos caluniosos, todos apócrifos e anônimos, com acusações e narrativas pejorativas contra candidatos à reitoria da instituição. A representação com o pedido de Tonholo já foi protocolada junto ao MPF.

Na noite de domingo, mais um destes vídeos caluniosos e não assinados foi lançado nas redes sociais, desferindo palavras de baixo nível contra a candidata à reitora Valéria Correia. Na sexta-feira (26), um vídeo manipulado e depreciativo com uma montagem e um recorte de imagem tentava associar Josealdo Tonholo a um falso episódio de agressão física a um aluno. Uma semana antes, um outro material apócrifo e denegridor tentava vincular Tonholo à defesa de questões do Partido dos Trabalhadores (PT).

“Salientamos que os padrões impressos nos materiais parecem seguir a mesma lógica de roteiro e de abordagem, ou seja, sem assinatura de candidatura, atentando contra a imagem da Universidade Federal de Alagoas e ridicularizando os candidatos de várias chapas”, afirma o candidato na representação. “É nesse sentido que formulamos a referida denúncia e solicitamos ao MPF, instalar procedimentos para apuração dos crimes acima citados que denigrem a imagem dos Servidores Públicos Federais e da própria Universidade Federal de Alagoas”, atesta o documento.

Na semana passada, material de campanha da Chapa 1, encabeçada por Josealdo Tonholo e pela professora Eliane Cavalcanti, candidata à vice-reitoria, foi depredado no Campus A. C. Simões, em Maceió. A chamada “eleição” para reitor da Ufal, que na verdade é uma consulta simbólica à comunidade acadêmica da instituição, ocorre nos dias 7 e 8 de agosto. Já a eleição de fato para a reitoria da Universidade acontece em outubro e é feita pelo Conselho Universitário, respeitando integralmente a Nota Técnica nº 400/2018 do Ministério da Educação.

MPF Tonholo Ufal

Veja Também

Comentários