Protesto

Trabalhadores protestam contra demissões da Equatorial Alagoas

Demissões atingem todo o Estado

POR: 7Segundos
Protesto ocorre nesta segunda-feira (05)
Cortesia

Funcionários da Equatorial Alagoas, empresa que assumiu o controle da antiga Companhia Energética de Alagoas (Ceal), iniciaram o dia com um protesto contra o alto número de demissões, após a privatização da empresa. O clima entre os trabalhadores é de apreensão, pois até os funcionários mais novos e que prestaram concurso estão sendo demitidos.

Segundo Vicente Oliveira, diretor de Formação do Sindicato do Urbanitários de Alagoas, toda semana ocorre demissões sem justa causa e não há critérios para a escolha de quem vai sair. "A empresa fez um Plano de Demissão Voluntária [PDV] e cerca de 300 a 350 pessoas aderiram. Logo depois começaram a demitir sem justa causa", disse.

Ainda segundo o Sindicato, as demissões "além de prejudicar diretamente centenas de famílias, atingem a economia de Alagoas e certamente prejudicam a qualidade de um serviço estratégico e essencial para toda a população. Essa mão de obra é necessária para a empresa, que terá que recontratar esse pessoal especializado através de terceirizadas. Ocorre que os demitidos já possuem salários compatíveis com o mercado local. Além disso, não irão precisar de capacitação, pois já são treinados e qualificados para atuar na área".

A Equatorial emitiu uma nota, esclarecendo que a empresa se encontra em um processo de reestruturação e que sendo adequado ao modelo de gestão do grupo que a comprou. Segue a explicação completa:

Nota de esclarecimento

A Equatorial Energia Alagoas esclarece que a empresa foi privatizada recentemente, herdando uma dívida de mais de R$ 1.8 bilhões de reais, com sucessivos prejuízos e uma prestação de serviço precária. Neste momento, a distribuidora encontra-se em processo de reestruturação.  

A empresa realizou o Programa de Demissão Voluntária, onde os que julgaram ser o momento, aderiram ao PDV. O quadro de colaboradores da distribuidora está sendo adequado ao modelo de gestão do Grupo Equatorial Energia.

A concessionária mantém relacionamento institucional respeitoso com todos os órgãos de representação de classe, entidades públicas e poderes constituídos, prezando pela observância da legislação trabalhista. 

A Companhia ainda ratifica o compromisso da empresa com o estado e já apresentou o plano de investimentos da companhia até 2020, onde busca a melhoria no fornecimento de energia elétrica e atendimento, para satisfação dos clientes.

Assessoria de Imprensa da Equatorial Energia Alagoas

demissões Eletrobras equatorial Privatização protesto

Veja Também

Comentários