POLÍTICA

Governo quer desmitificar como o Brasil cuida do meio ambiente, diz Salles

Bolsonaro discursará na ONU na 3ª

POR: Poder 360
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
Reprodução/Internet

Às vésperas da Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidos), o ministro Ricardo Salles afirmou que o governo brasileiro irá desmitificar a “falsa ideia” de que houve 1 desmonte do sistema ambiental no Brasil. A intenção, segundo o ministro, é esclarecer sobre a legislação e fiscalização do meio ambiente no país e apresentar oportunidades de investimentos.

“[Queremos] Desmistificar essa falsa ideia de que houve um desmonte do sistema ambiental, de que houve flexibilização da legislação ou da fiscalização, de que o Brasil não se importa com meio ambiente. Não é verdade. Temos que esclarecer tudo isso para que essas mentiras ou desinformações não continuem a ser repetidas”, afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada neste domingo (22.set.2019). 

De acordo com o ministro, diferente de outros governos, a equipe de Bolsonaro alinhou a preservação do meio ambiente com o desenvolvimento econômico das regiões. “Nós deixamos 20 milhões de brasileiros para trás na Amazônia, que é a região mais rica do Brasil em termos de recursos naturais, mas com o pior índice de econômico. Entendemos que essa não é a maneira adequada”.

Para ele, o Brasil não perdeu seu papel de líder na defesa do desenvolvimento sustentável e afirmou que o país tem 1 Código Florestal restritivo e que 1 “volume enorme” de recursos estão sendo utilizados para a manutenção das reservas legais e das áreas de proteção permanente “sem nenhum tipo de apoio de compensação pública”.

O ministro defende a apresentação do potencial de investimentos ambientais no Brasil, como créditos de carbono e pagamentos por serviços ambientais. “Há uma gama enorme de oportunidades e o Brasil é o principal canal privilegiado para receber esses recursos.”

Salles está nos Estados Unidos desde 5ª feira (19.set). Na última semana, reuniu-se com investidores e autoridades locais. Durante os encontros, acertou o lançamento de 1 grande fundo de investimentos para a Amazônia que será formalmente detalhado num evento que está sendo chamado de Cúpula da Bioeconomia de 8 a 10 de novembro de 2019, em Belém, no Pará.

Nesta semana, o ministro integrará a comitiva brasileira que acompanha o presidente Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral das Nações Unidas. O chefe do executivo discursará na abertura do encontro global na 3ª feira (24.set).

Amazônia desmatamento governo Meio Ambiente mundo

Veja Também

Comentários