leia nota

Casal lança nota de esclarecimento sobre esgoto na Ponta Verde

Um rompimento da galeria de águas pluviais seria o responsável pelo problema

POR: 7segundos
Lançamento de esgoto foi detectado na Ponta Verde
Divulgação

A Compainha de Saneamento de Alagoas (CASAL), lançou uma nota nesta sexta-feira (27), esclarecendo sobre o problema de esgoto na praia de Ponta Verde. A irregularidade foi detectada após a fiscalização comprovar o desvio da rede coletora de esgoto nos canais de escoamento da rede pluvial que desaguam no mar. 

Em nota, a CASAL disse que nesta sexta-feira (27), o serviço da Companhia constatou a verdadeira causa da chegada de esgoto ao mar: um rompimento da galeria de águas pluviais da prefeitura, que danificou a rede coletora de esgoto da Casal, levando o esgoto para a galeria e chegando ao mar. 

Leia nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento – Esgoto na Praia de Ponta Verde

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), tão logo foi comunicada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet), na última segunda-feira (23), de que um teste com um corante vermelho aplicado pela própria secretaria mostrou a chegada de esgoto na praia de Ponta Verde, em Maceió, por meio da galeria de águas pluviais operada pela prefeitura, tomou todas as providências para colaborar na investigação e assim chegar à verdadeira causa do fato.

Para isso, a Companhia mobilizou engenheiros e técnicos da área, fez vistorias no local onde houve a aplicação do corante, acionou uma empresa prestadora de serviço e, nesta quinta-feira (26), iniciou um trabalho de escavação no cruzamento da Rua Prefeito Abdon Arroxelas com a Avenida Álvaro Otacílio.

Nesta sexta-feira (27), o serviço da Companhia constatou a verdadeira causa da chegada de esgoto ao mar: um rompimento da galeria de águas pluviais da prefeitura, que é operada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), danificou a rede coletora de esgoto da Casal, que fica transversalmente abaixo desta. Portanto, a galeria da prefeitura danificou a rede da Casal e, assim, o esgoto passou para a galeria e chegou ao mar. Não há e nunca houve, como chegou a ser divulgado durante esta semana por diversas mídias, nenhum by pass de esgoto dentro da galeria de águas pluviais.

O rompimento da galeria de águas pluviais da prefeitura, que, por sua vez, rompeu a rede coletora de esgoto da Casal, pode ter ocorrido pelo desgaste natural dos materiais ou pelo excesso de peso sobre o pavimento, causado por veículos de carga, por exemplo. O ponto onde as redes se cruzam é exatamente onde ocorreu o afundamento do pavimento com a consequente ruptura das tubulações.

Por todas essas razões, estranhamos que a Sedet, mesmo sem ter tido conhecimento da verdadeira causa do problema, tenha autuado a Companhia e permitido que o assunto tomasse as dimensões a que chegou por meio da imprensa, causando graves danos à imagem da empresa.

Após todas as conclusões desta sexta-feira (27), a Seminfra, que cuida da manutenção das galerias de águas pluviais, prontamente enviou uma equipe ao local para reparar sua estrutura.

A Casal reafirma que trabalha com responsabilidade, sempre em respeito às normas ambientais e à legislação, e adota as providências cabíveis para prestar o melhor serviço possível à população, pois entende o quanto são essenciais o abastecimento de água e o esgotamento sanitário.

Casal esgoto nota saneamento

Veja Também

Comentários