1° Santa Brasileira

Canonização de Irmã Dulce: Arquidiocese de Maceió realiza programação no domingo

Cerimônia acontecerá às 10h, no Vaticano

POR: Assessoria
Canonização de Irmã Dulce será em 13 de outubro
Divulgação

A Arquidiocese de Maceió vai promover uma programação especial durante a canonização de Irmã Dulce, que se tornará a primeira santa nascida no Brasil. Irmã Dulce e mais quatro beatos serão canonizados neste domingo (13) pelo Papa Francisco durante o Sínodo da Amazônia, no Vaticano.  A capital alagoana tem uma futura paróquia e um santuário dedicados à religiosa baiana.

Quase Paróquia Irmã Dulce (Clima Bom II)

Na Quase Paróquia Irmã Dulce, parte alta da cidade, a programação começa às 6h com a Santa Missa na Comunidade Dom Bosco, no Clima Bom II. Às 7h terá a Missa no Santuário Mãe Rainha, no Loteamento Colibri, onde fica provisoriamente a Igreja Matriz da Futura Paróquia. A Comunidade Nossa Senhora das Dores, no Conjunto Colina 2, vai se reunir às 9h para a Santa Missa.

Os fiéis vão celebrar a já proclamada Santa Dulce dos Pobres também à noite. Às 19h haverá a recitação do Terço na casa da fiel Dona Didi, no Clima Bom 2, e procissão com a imagem de Irmã Dulce até o Santuário Mãe Rainha, no Colibri. A Missa encerrará a programação.

Santuário da Misericórdia de Maceió – São João Paulo II e Irmã Dulce dos Pobres (Dique Estrada)

Já o Santuário Arquidiocesano da Divina Misericórdia São João Paulo II e Irmã Dulce, no Dique Estrada, Vergel, iniciará a programação às 14h30 com louvor, terço, testemunho e confissões. A Santa Missa será celebrada às 16h e encerrada com a bênção do Santíssimo Sacramento.

Casa Dom Bosco (Santa Amélia)

A Fundação São João Paulo II – Casa Dom Bosco, localizada no bairro Santa Amélia, celebrará, em ação de graças, a canonização da Irmã Dulce dos Pobres, às 09h na Capela da instituição. Durante toda a manhã, uma relíquia de primeiro grau da santa (fragmentos do osso da mão), estará exposta para veneração.

Cobertura ao vivo

A cerimônia de canonização de Irmã Dulce será presidida por Papa Francisco às 10h no Vaticano, 5h no horário de Brasília. TVs, rádios e mídias digitais católicas farão a transmissão ao vivo da celebração.

Irmã Dulce

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, Irmã Dulce, ficou conhecida por suas obras assistenciais aos necessitados. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, ela nasceu em Salvador no dia 26 de maio de 1914. Faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, em Salvador.

A Associação Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), fundada nos anos 1950 pela religiosa na capital baiana, atualmente é um dos maiores complexos de saúde 100% gratuito do Brasil, com 3,5 milhões de atendimentos ambulatoriais, por ano, a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), entre idosos, pessoas com deficiência e com deformidades craniofaciais, pacientes sociais, crianças e adolescentes em situação de risco social, dependentes de substâncias psicoativas e pessoas em situação de rua.

Canonização

São quatro as exigências do Vaticano para comprovar a veracidade das graças, até serem consideradas milagres: ser preternatural (a ciência não consegue explicar), instantâneo (acontecer imediatamente após a oração), duradouro e perfeito. No caso de Irmã Dulce, três graças alcançadas por devotos, após orações, estavam sendo analisadas pelo Vaticano, com vista ao processo de canonização da religiosa. Esses três casos foram enviados ao Vaticano pelas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em 2014, após análise de profissionais da própria instituição.

A causa da Canonização de Irmã Dulce foi iniciada em janeiro de 2000. Em abril de 2009, o Papa Bento XVI autorizou a concessão do título de Venerável à freira baiana. Irmã Dulce foi beatificada em 2011, pelo enviado especial do Papa Bento XVI, Dom Geraldo Majella Agnelo, em Salvador.

arquidiocese de Maceió Canolização domingo irma dulce

Veja Também

Comentários