mandado de prisão

Polícia Civil prende homem envolvido em crime de latrocínio, em Maceió

Cassiano Cardoso, de 29 anos, foi preso no bairro de Mangabeiras

POR: Redação, com assessoria
Prisão foi efetuada pela Polícia Civil de Alagoas
Reprodução

Policiais civis da Delegacia Especializada de Roubos da Capital (Derc) prenderam, no final da tarde de sexta-feira (11), Cassiano Cardoso Tenório, de 29 anos, pelo envolvimento em um crime de latrocínio ocorrido no inicio deste ano. A vítima,  Ramiro Ferreira de Carvalho Neto, foi morta a tiros dentro de seu estabelecimento comercial, no bairro do Clima Bom, em Maceió.

Cassiano foi preso, no bairro de Mangabeiras, na Capital, em cumprimento a mandado de prisão expedido pela 6ª Vara Criminal da Capital, após investigações realizadas pela Delegacia Especializada de Roubos da Capital.

O delegado José Carlos, titular da Derc, disse que Ramiro foi assassinado quando reagiu a um crime de roubo no dia 13 de fevereiro deste ano, em sua barbearia. “Dois indivíduos, usando uma motocicleta, além de levarem pertences  da vítima, atiraram nela a sangue frio”, frisou a autoridade policial.

“Segundo as investigações, compostas por provas materiais e testemunhais, Cassiano esteve no local do crime e, minutos após a morte da vítima, entregou o aparelho celular roubado na ação para Wanderlan Cipriano, tio da vítima, e que está preso também pelo latrocínio. Wanderlan foi indiciado na condição de mandante da prática do crime de roubo que causou a morte do próprio sobrinho”, destacou o delegado José Carlos.

De acordo com os investigadores da PC, Cassiano nega autoria do crime, mas confirma ter entregue o aparelho celular da vítima a Wandrlan. A Polícia acredita que Cassiano dirigia a moto usada no crime.

As investigações ainda estão em andamento já que o segundo envolvido na execução do crime ainda não foi identificado.

O delegado disse ainda que Cassiano foi indiciado pela Derc em outro inquérito por receptação qualificada de compra e venda de aparelhos celulares roubados, e poderá responder a outros crimes semelhantes já que há provas de que ele continuava com a mesma prática.

Cassiano Cardoso latrócínio mandado de prisão Prisão

Veja Também

Comentários