Bienal do Livro

Juiz apresenta poesias cantadas para público da Bienal do Livro

Desembargador Fábio José Bittencourt Araújo, diretor da Esmal, acompanhou a oficina e as atividades da escola no local

POR: Assessoria
Após ser desafiado, juiz compôs jingle sobre a bienal.
Anderson Moreira

O magistrado Ricardo Lima compartilhou seu talento na poesia e na música com o público presente, nesta quarta-feira (6), na 9ª Bienal Internacional do Livro em Alagoas. A atividade foi realizada no estande da Escola Superior da Magistratura de Alagoas e da Associação Alagoana de Magistrados, e contou com a presença do desembargador Fábio José Bittencourt Araújo, diretor da Esmal.

O magistrado, que é titular do 8º Juizado Especial Cível da Capital, aproveitou a oportunidade para falar sobre seu processo criativo. Desafiado por adolescentes que participavam da oficina, Ricardo Lima criou, em poucos minutos, um jingle sobre a Bienal do Livro.

“Não tem nada melhor do que nos aproximar da população. Quanto mais ações, assim, melhor para mostrar nosso trabalho, debater assuntos do momento e a legislação. No meu caso, como eu gosto muito de fazer poesias e todas elas eu canto, eu mostrei um pouco do que sei. Evidentemente se for olhar em termos técnicos, eu não sei muito, mas em termos de saber fazer, eu tenho bastante experiência”, explicou o magistrado.

De acordo com o desembargador Fábio Bittencourt, promover um estande da Esmal na bienal teve como principal objetivo proporcionar maior interação dos membros do Judiciário com a população, além de demonstrar o apreço pela literatura e valorização da nossa cultura.

“A vida do magistrado não é só voltada para livros de Direito não, também existe nossa parte emocional, que todo ser humano tem. Além disso, é importante que todos tenham ciência dos trabalhos que são desenvolvidos pela magistratura, não só na prestação da tutela jurisdicional, mas também os vários serviços que prestamos para a sociedade como um todo”, explicou o desembargador.

Mais cedo, às 15h, a Esmal e a Almagis animou a tarde de crianças e adolescentes que participavam da bienal com a realização de brincadeiras cantadas, comandadas por Igbonan Rocha.

7 segundos Alagoas Bienal cantada Esmael Juiz justiça Lima livro Maceió Poesia poesias Ricardo

Veja Também

Comentários