reflexão

Bebê espancado em Arapiraca reascende discussão sobre violência contra crianças

Casos estão registrados nos relatórios mensais da Secretária de Segurança Pública

POR: Marcos Filipe Sousa
Maria Lorrany e Danilo, dois casos que chamaram a atenção dos alagoanos
Reprodução

O caso do bebê de um ano espancado pelo pai na cidade Arapiraca esta semana traz à tona a reflexão sobre casos de violência que envolvem crianças. Estes dados são coletados mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado e apontam que de janeiro a outubro deste ano, 0,05% dos crimes violentos, letais e intencionais (CVLI) envolvem menos de até 11 anos de idade.

Na capital, durante os dez primeiros meses do total de crimes violentos, 0,07% envolviam crianças, e na cidade de Arapiraca, os números são ainda maiores, foram 2,5% menores vítimas de violência.

Somente no mês passado, tivemos o caso da menina Maria Lorrany Santos Silva, de 7 meses de vida, que foi encontrada morta em 6 de novembro, supostamente, após cair da cama, também na cidade de Arapiraca. O padrasto foi preso como suspeito da morte.

O outro foi de um bebê recém-nascido encontrado morto sob a ponte que faz divisa entre os bairros Desvio e Pedra Velha, na cidade de Delmiro Gouveia.

E no mês de Outubro, o caso do menino Danilo Almeida assassinado no dia 11 de outubro após ser sequestrado no bairro do Clima Bom, em Maceió. O corpo do menino foi encontrado no outro dia com perfurações na cabeça e no pescoço.

O bebê de 1 ano espancado pelo pai que estava internado em estado grave no Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca, foi transferido na noite da quarta-feira (4) para a UTI Pediátrica do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió.

. Alagoas casos Crianças Menores violência

Veja Também

Comentários