Governo nega

Venezuela volta a acusar Brasil de ataque a base militar

Ministro diz que desertores das forças armadas venezuelanas passaram 15 dias em Pacaraima, no Brasil, recebendo 'instruções e planejamento'

POR: G1
Ministro das comunicações da Venezuela Jorge Rodríguez
Reprodução

O ministro das Comunicações da Venezuela, Jorge Rodríguez, voltou nesta segunda-feira (23) a acusar Brasil e Peru de participação no assalto a um batalhão no sul do país e disse que o presidente da Colômbia, Iván Duque, teria patrocinado o ataque, para desencadear um incidente que justificasse uma intervenção militar dos Estados Unidos.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil nega qualquer envolvimento na ação.

Segundo Jorge Rodríguez, o ataque de domingo no estado de Bolívar (na fronteira com o Brasil) foi perpetrado por um "grupo de desertores (das Forças Armadas da Venezuela) protegidos, financiados e cobertos pela logística do governo de Iván Duque".

#EnVideo || El Vicepdte. de Comunicación, Cultura y Turismo, @jorgerpsuv, ofreció declaraciones en rueda de prensa: Querían derribar un avión militar de la Fuerza Colombiana para luego decir que se habían sido las fuerzas armadas venezolanas. pic.twitter.com/rzVnvdCKIG

— December 23, 2019

O ministro disse ainda, em entrevista coletiva, que a intenção dos desertores seria promover atos terroristas em seu próprio país e, eventualmente, a derrubada de um avião da Força Aérea Colombiana, em território colombiano. "Para culpar a força armada bolivariana venezuelana. Para que os EUA pudessem intervir militarmente na Venezuelana", acusou.

ataque base militar Brasil Venezuela

Veja Também

Comentários