após polêmica

Bolsonaro decide demitir Roberto Alvim da Secretaria de Cultura

Após polêmica em vídeos com referências ao nazismo, presidente determina a saída do responsável pela pasta

POR: Estadão Conteúdo
Roberto Alvim deixou o cargo nesta sexta-feira
Gabriela Bilo/Estadão

O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o secretário de Cultura, Roberto Alvim, após a polêmica referências ao nazismo em vídeo divulgado nas redes sociais. Segundo o Estado apurou com auxiliares próximos de Bolsonaro, a situação de Alvim ficou "insustentável". O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, já foi comunicado da decisão.

A arte brasileira da próxima década será heróica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada", diz Alvim no vídeo.

"A arte alemã da próxima década será heróica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada", disse Goebbels em pronunciamento para diretores de teatro, de acordo com o livro Goebbels: a Biography, de Peter Longerich.

A frase causou polêmica entre artistas e até mesmo entre apoiadores do governo de Bolsonaro, que cobram a demissão do secretário. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também foi às redes sociais dizer que é preciso afastar Alvim "urgentemente" do cargo.

Mais cedo, em entrevista ao Estado, o secretário disse ter conversado com o presidente Jair Bolsonaro e o "convencido" de que a citação de uma frase similar a do propagandista do nazismo foi uma "coincidência retórica". Segundo ele afirmou à reportagem, o presidente disse a Alvim que o secretário permaneceria no cargo.  

Bolsonaro Cultura Exoneração Ministro nazismo Roberto Alvim

Veja Também

Comentários