POLÍCIA

Reconhecimento facial por aplicativo captura 42 foragidos no Carnaval

Os dados do Face Check foram apresentados na manhã de hoje, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar

POR: uol notícias
Face Check
Reprodução

O aplicativo Face Check, da SSP-BA (Secretaria de Segurança Pública da Bahia), reconheceu e auxiliou na captura de 42 pessoas foragidas da Justiça durante o Carnaval de Salvador 2020. A ferramenta tecnológica indicou semelhança acima de 90%.

A SSP-BA destacou que o Carnaval de Salvador terminou sem registro de morte violenta. Ontem um homem suspeito de atirar contra três pessoas que estavam no circuito Osmar, foi preso. Ele usava tornozeleira eletrônica e foi capturado com auxílio da tecnologia do sistema de monitoramento de presos.

Dos 42 foragidos com ordem de prisão em aberto, 40 são do sexo masculino e dois femininos. Os dados apontam ainda que dos 42 presos foragidos, existiam dois envolvidos em homicídios, 13 relacionados a tráfico de drogas, 14 procurados por roubos, três ligados a furtos, entre outros casos.

Os dados do Face Check foram apresentados na manhã de hoje, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, durante coletiva sobre os registros da festa.

"O sistema é multibiométrico e identifica o indivíduo tanto pelas impressões digitais como pela fotografia da face", diz a diretora do IIPM, Socorro de Maria.

A tecnologia foi usada pela primeira vez, em fase de testes, e é ligada ao banco de dados do IIPM (Instituto de Identificação Pedro Mello) possibilitando as equipes do DPT (Departamento de Polícia Técnica) a identificar um foragido da Justiça, apontado pelo sistema de reconhecimento facial, no período máximo de um minuto.

O aplicativo acessa cerca de 160 mil cadastros dos 9 milhões de registros informatizados do IIPM. O perito faz a fotografia do indivíduo e o sistema, em um minuto, apresenta o cadastro com os dados daquela pessoa.

"O Carnaval de 2020 confirma o nosso pioneirismo no uso de tecnologia de ponta em grandes eventos. Começamos na festa do ano passado, com o reconhecimento facial e tivemos um preso. Na Micareta de Feira de Santana alcançamos 33 foragidos e agora, encerramos a folia de Salvador com 42 capturados", destacou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Número real de foliões

O aplicativo Face Check também pôde medir o total de pessoas que passaram pelo Carnaval de Salvador 2020: 11,7 milhões entre quinta-feira (20) e a quarta-feira de cinzas (26). Os dados apontaram que 6,9 milhões ficaram no circuito Dodô (Barra/ Ondina). Já 3,4 milhões de foliões se concentraram no circuito Osmar (Centro) e 1,4 milhões no circuito Batatinha (Centro Histórico).

"A contagem foi realizada pelo Sistema de reconhecimento facial, que também confirmou uma grande migração do público para o circuito orla", destacou a pasta.

Ocorrências e produtividade

A secretaria destacou ainda que o Carnaval de Salvador terminou sem registro de morte violenta nos três circuitos. Não houve também latrocínio (roubo seguido de morte) e lesão dolosa seguida de morte.

As tentativas de homicídio tiveram queda de 70%. Foram três casos computados este ano, contra 10 registros em 2019.

"Nos seis dias de festa 3.110 suspeitos foram conduzidos aos postos, resultando nas prisões em flagrante de 52 criminosos. Nas Centrais de Flagrantes a polícia contabilizou ainda cinco registros de armas brancas apreendidas", informou a secretaria.

Durante o Carnaval de Salvador 2020 foram registados nove casos de importunação sexual, um de homofobia, dois de racismo, 157 roubos, 1.090 furtos, e 120 lesões corporais. Já no Carnaval de 2019, foram registrados 121 roubos, 891 furtos e 118 casos de lesão corporal.

"Se pegarmos o número geral de público e fizermos uma conta proporcional à quantidade de ocorrências, temos 0,003% de vítimas de delitos. É pouco levando em consideração uma festa de rua, com locais apertados, uso excessivo de álcool e, em alguns casos, de drogas ilícitas", ressaltou Barbosa.

 

Aplicativo importunação Polícia Civil Prisão Reconhecimento facial

Veja Também

Comentários