POLÍCIA

Operação Ruína desarticula organizações criminosas em Alagoas

Ao todo, foram cumpridos 18 mandados de prisão, busca e apreensão

POR: Redação, com assessoria
Operação integrada em Maceió
Ascom PC/AL

A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL), em parceria com as Polícias Civil e Militar, deflagrou, nesta terça-feira (03), uma operação para desarticular duas organizações criminosas distintas atuantes no tráfico de drogas em Alagoas.

A operação, denominada ‘Ruína’, é fruto de seis meses de trabalho conjunto entre o Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), a Delegacia de Narcóticos (Denarc) e a Secretaria da Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL). Durante as investigações, ficou constatada a atuação das organizações em Rio Largo, Maceió e no interior de São Paulo.

Ao todo, foram cumpridos 18 mandados de prisão, busca e apreensão, sendo cinco deles cumpridos em São Paulo. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

O primeiro grupo criminoso atuava no bairro do Cruzeiro do Sul, em Rio Largo, e era liderado por um reeducando que se encontra custodiado no sistema prisional pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

A segunda organização criminosa identificada atuava no bairro do Canaã, em Maceió. O líder dessa organização criminosa dava  ordens de São Paulo. É conhecido pelos agentes de segurança pública de Alagoas por participação na execução do policial militar Ivaldo Oliveira da Silva, crime ocorrido após um assalto frustrado a uma agência bancária, no município de Porto de Pedras. Ele chegou a ser preso, mas, em janeiro de 2015, conseguiu fugir do sistema prisional.  

De acordo com as investigações, após a fuga, o criminoso foragiu com sua a família para o interior de São Paulo e passou a comandar, mesmo à distância, o tráfico de drogas no bairro do Canaã, em Maceió, abastecendo a região com drogas vindas de outro estado. Este indivíduo foi preso durante cumprimento de mandado em São Paulo. 

Em Alagoas,  dois homens e uma mulher foram presos durante a ação. 

Participaram da operação policiais militares do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), do Batalhão de Operações Especiais (Bope), além do Grupamento Aéreo e policiais civis da Delegacia de Narcóticos (Denarc), Tigre e Asfixia.

A população pode colaborar com o trabalho da Segurança Pública repassando informações sobre estas organizações criminosas por meio do Disque Denuncia 181. A ligação é gratuita e o anonimato garantido.

Alagoas Criminosa Operação organização Ruína

Veja Também

Comentários